Nós sempre fomos assim

“Vai lá, é a sua vez. Conte até cinqüenta que eu vou me esconder, como nós sempre fazemos. Mas só até cinqüenta, viu? Porque se você demorar demais pra me procurar, eu vou acabar achando que acabou a brincadeira, e vou embora de vez.
Nós sempre fomos assim, você sabe, uma hora você some, outra hora eu sumo, sem satisfações e só com um nó no peito e cabeça de criança pra justificar. Nesse esconde-esconde do amor, eu nunca sei quanto tempo você vai demorar pra me procurar, e não adianta combinar, eu sei que você vai extravasar o limite. Mas eu nunca pulo fora da brincadeira, meu coração escondido prefere pensar que está na melhor porque ainda não foi achado. Nós revezamos sempre, quem vai procurar ávido do cheiro do corpo do outro, do toque, das mãos, e quem foge, se esconde sem saber se ainda quer insistir num amor sem pé nem cabeça, sem começo determinado nem fim anunciado, sem regra num jogo onde vale tudo.”

 

 

Atração repentina

“Descobri uma pessoa aonde não procurava, descobri o que eu não queria descobrir de uma forma tão gostosa de sentir. Tudo, tudo, tinha um propósito agora. Vivenciar, observar, rir e ter pra quem contar no final do dia, fazia com que eu nem soubesse quem era a mulher com um buraco no peito de antes. Tão simples e ao mesmo tempo profundo, complexo. Como explicar a atração tão grande, não apenas pela beleza do corpo, mas pelo tom de voz e pelo olhar, pelos traços das mãos e o movimento singelo dos olhos. Sim, me fazia feliz, me fazia pular de alegria, explodir meu peito que não estava acostumado a ter tanto de uma vez só. Eu mal te conheci, e já causava um maremoto nesse porto tão pequeno, que abrigava sentimentos tão pequenos. Mas a alma é grande, o sonho é grande.”

Clarissa M. Lamega

Só sei sentir

Hoje eu não sei dizer.

Só sei sentir.

“Há dias em que as palavras não são capazes de traduzir o sentimento. Bom mesmo é ser compreendido, mesmo quando não sabemos dizer… Amar é uma forma de crer em silêncio.”  

(Pe. Fábio de Melo)

 

Crônica de Martha Medeiros

Gente lá vai uma das crônicas maravilhosas de Martha Medeiros que particularmente acho um luxo e proporciona as mulheres muita inspiração.

Depois de um bom tempo dizendo que eu era a mulher da vida dele, um belo dia eu recebo um e-mail dizendo: ‘olha, não dá mais’.
Tá certo que a gente tava quase se matando e que o namoro já tinha acabado mesmo, mas não se termina nenhuma história de amor (e eu ainda o amava muito) com um e-mail, não é mesmo? Liguei pra tentar conversar e terminar tudo decentemente e ele respondeu: mas agora eu to comendo um lanche com amigos’.
Enfim, fiquei pra morrer algumas semanas até que decidi que precisava ser uma mulher melhor para ele. Quem sabe eu ficando mais bonita, mais equilibrada ou mais inteligente, ele não volta pra mim?
Foi assim que me matriculei simultaneamente numa academia de ginástica, num centro budista e em um curso de cinema. Nos meses que se seguiram eu me tornei dos seres mais malhados, calmos, espiritualizados e cinéfilos do planeta. E sabe o que aconteceu? Nada, absolutamente nada, ele continuou não lembrando que eu existia.
Aí achei que isso não podia ficar assim, de jeito nenhum, eu precisava ser ainda melhor pra ele, sim, ele tinha que voltar pra mim de qualquer jeito!
Pra isso, larguei de vez a propaganda, que eu não suportava mais, e resolvi me empenhar na carreira de escritora, participei de vários livros, terminei meu próprio livro, ganhei novas colunas em revistas, quintupliquei o número de leitores do meu site e nada aconteceu.
Mas eu sou taurina com ascendente em áries, lua em gêmeos, filha única! Eu não desisto fácil assim de um amor, e então resolvi tinha que ser uma super ultra mulher para ele, só assim ele voltaria pra mim.
Foi então que passei 35 dias na Europa, exclusivamente em minha companhia, conhecendo lugares geniais, controlando meu pânico em estar sozinha e longe de casa, me tornando mais culta e vivida.
Voltei de viagem e tchân, tchân, tchân, tchân: nem sinal de vida.
Comecei um documentário com um grande amigo, aprendi a fazer strip, cortei meu cabelo 145 vezes, aumentei a terapia, li mais uns 30 livros, ajudei os pobres, rezei pra Santo Antonio umas 1.000 vezes, torrei no sol, fiz milhares de cursos de roteiro, astrologia e história, aprendi a nadar, me apaixonei por praia, comprei todas as roupas mais lindas de Paris.
Como última cartada para ser a melhor mulher do planeta, eu resolvi ir morar sozinha. Aluguei um apartamento charmoso, decorei tudo brilhantemente, chamei amigos para a inauguração, servi bom vinho e comidinhas feitas, claro, por mim, que também finalmente aprendi a cozinhar. Resultado disso tudo: silêncio absoluto.
O tempo passou, eu continuei acordando e indo dormir todos os dias querendo ser mais feliz para ele, mais bonita para ele, mais mulher para ele.


Até que algo sensacional aconteceu…
 
Um belo dia eu acordei tão bonita, tão feliz, tão realizada, tão mulher, que eu acabei me tornando mulher DEMAIS para ele.
Ele quem mesmo??? haha’
(Martha Medeiros)

A Coragem para ser Feliz

 

Continuamos a perder muitas coisas na vida só por causa da falta de coragem. Na verdade, nenhum esforço é necessário para conquistar – só é preciso coragem – e as coisas começarão a vir até você, em vez de você ir atrás delas. 

Pelo menos no mundo interior é assim. 
E, para mim, ser feliz é a maior coragem. 

(Osho)

O Quase

“Ainda pior que a convicção do não 
é a incerteza do talvez, 
é a desilusão de um quase. 
É o quase que me incomoda, que me entristece, 
que me mata trazendo tudo que poderia ter sido e não foi. 

Quem quase ganhou ainda joga, 
quem quase passou ainda estuda, 
quem quase morreu está vivo, 
quem quase amou não amou. 

Basta pensar nas oportunidades que escaparam pelos dedos, 
nas chances que se perdem por medo, nas idéias que nunca sairão do papel por essa maldita mania de viver no outono. 
Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna; 
ou melhor não me pergunto, contesto. 
A resposta eu sei de cor,está estampada na distância e frieza dos sorrisos, na frouxidão dos abraços, na indiferença dos “Bom dia”, 
quase que sussurrados. 

Sobra covardia e falta coragem até pra ser feliz. 
A paixão queima, o amor enlouquece, o desejo trai. 
Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor, sentir o nada, mas não são. 
Se a virtude estivesse mesmo no meio termo, o mar não teria ondas, os dias seriam nublados e o arco-íris em tons de cinza. 

O nada não ilumina, não inspira, não aflige nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si. 
Não é que fé mova montanhas, nem que todas as estrelas estejam ao alcance, para as coisas que não podem ser mudadas resta-nos somente paciência porém, preferir a derrota prévia à dúvida da vitória é desperdiçar a oportunidade de merecer. 

Pros erros há perdão; 
pros fracassos, chance; 
pros amores impossíveis, tempo. 
De nada adianta cercar um coração vazio ou economizar alma. 
Um romance cujo fim é instantâneo ou indolor não é romance. 

Não deixe que a saudade sufoque,
que a rotina acomode, 
que o medo impeça de tentar. 
Desconfie do destino e acredite em você. 
Gaste mais horas realizando que sonhando, 
fazendo que planejando, 
vivendo que esperando 
porque, embora quem quase morre esteja vivo, 
quem quase vive já morreu.”

(Luís Fernando Veríssimo)

Sou sol

Sempre sonhei em ser o meu próprio sol, possuir a autonomia e força que me iluminaria sempre em todas as ocasiões.
O véu que cobria a minha face fora arrancada com o tempo, fiquei com os olhos totalmente despidos e me senti como uma criança que acaba de nascer em busca do fôlego da vida.
Onde foi parar o meu céu colorido que um dia pintei em um papel qualquer, acreditando que um dia poderia falar com as nuvens?. Ah! quanta inocência a minha, de achar que tudo era fantasia, que todas as pessoas eram boas e honestas, que com um piscar dos olhos poderia viajar para um mundo encantado onde as árvores eram feitas de algodão doce.
O “tempo” fugiu com o meu véu em suas mãos, tentei recuperá-lo,fingir que coisas más, que pessoas más, que más situações não são tão más assim! Me enganei! Me senti desamparada, e mais uma vez a percepção me veio a tona de que o ser humano é tão “putrefato”.
Sinto saudades de mim e da minha inocência, éramos tão felizes, não havia falsidades, desânimos, percepções tão complexas.
Volta pra mim meu eu inocente, que foi raptado pelo tempo, uma vez corrompida, jamais poderei ser inocente novamente, como afirma Rousseau, o homem nasce bom e a sociedade o corrompe.

By: Veraneio

Enviado por Ana

Link do texto aqui no blog: clique aqui

EBA! Novamente com vocês! :)

Ótima noite pessoal!

Em primeiro lugar quero pedir perdão aos meus leitores queridos que nunca deixaram de visitar o blog mesmo eu estando ausente.

Ao longo desse período que estive fora, tive motivos realmente importantes, focar nos estudos exige esforço e total dedicação, por isso deixei aqui às traças (que triste!). :/

Mas agora tudo está mudando para melhor (que continue assim rs’). Estou de férias e  super empenhadissima em cuidar mais de mim e do “Universo Inconsequente” para que vocês apreciem mais e mais.

Atenção leitores lindos, fiquem ligados que virão posts recheados com coisas legais!

Beijão

até mais

Então você chegou – Caio Fernando

Eu disse que sonharia com você, apenas pela certeza de que sua imagem linda, clara, fascinante, jamais sairia da minha cabeça. Ao me deitar eu estava pensando em ti, eu não sei se é sonho, eu não sei mesmo o que acontece, mas eu te sinto sempre, até enquanto durmo, sinto seu toque, sua voz, seu sorriso. Sinto e vejo tudo, meu misto de sonho e realidade, por que demorou tanto pra chegar? Eu guardei um sonho bom pra ti, essa noite toda, foi perfeita, eu estive com você, da forma mais incrível, toquei seu coração, te dei o meu e recebi o seu. Ao amanhecer sua imagem continuava nítida em minha mente, meio sonolenta acabei despertando pelo vibrar do celular e era você. E tem sido você e vai continuar sendo você. Por tanto tempo eu quis e então você chegou.

- Caio Fernando Abreu

Nunca é tarde para ser o que voce quem ser!

Nunca é tarde demais ou cedo demais para ser quem você quer ser. Não há limite de tempo. Comece quando quiser. Mude ou continue sendo a mesma pessoa. Não há regras para isso. Você pode tirar o máximo proveito ou o mínimo. Espero que tire o máximo. Espero que veja coisas surpreendentes. Espero que sinta coisas que nunca sentiu antes. Espero que conheça pessoas com um ponto de vista diferente. Espero que tenha uma vida da qual se orgulhe. E se não se orgulhar dela, espero que encontre forças para começar tudo de novo.