Alguns amigos por força do destino, nem sempre estão perto de nós, não o suficiente como queríamos. Hoje eu compreendo que não necessito estar 24 horas ao lado deles para entender a proporção da nossa amizade, para compreender como são especiais para mim. A distância pode parecer monstruosa, mas não destrói grandes amizades.
Como diria Antoine Saint Exupéry: “Ter um amigo é uma opção de amor… eles são importantes demais para serem esquecidos”. Eu concordo, e acrescento, é soma de amor, multiplicação de carinho, divisão de respeito e sempre estamos subtraindo os defeitos.
Amigos. Bênçãos que vem do coração de Deus para a gente cuidar. Vou viver em Deus a amizade que Ele aqui me concedeu, vou chorar bastante quando a saudade bater em minha porta. Vou rir lembrando os momentos de felicidade que passamos, e principalmente vou orar por você, assim conseguirei sentir mais forte a sua presença. Sei que você meu amigo é insubstituível, ficará para sempre a recordação de você dentro de mim.
Costumo assimilar amigo como vento. Sim, amigos são como o vento, impossível de prendê-lo entre as mãos, eles às vezes tem que tomar outra direção, um caminho contrário ao nosso. Às vezes são como um “furacão”, que invadem as nossas vidas. Às vezes “brisa suave” acalmando nossa alma. Amigos são como ventos, às vezes perto, às vezes longe, mas eternamente dentro de nossos corações.
Finalizo com uma frase que define muito bem  um amigo: ”Amizade só faz sentido se trás o céu para mais perto da gente, e se inaugura aqui mesmo o seu começo. Eu não vou estranhar o céu… Sabe por quê? Por que… Ser seu amigo já é um pedaço dele!” (Vinícius de Moraes)