“Dê adeus as suas dores. Jogue-as janela a fora. E vá ser feliz. Sorria! A vida é curta demais pra tudo isso. Hoje você está aí. Tens 16 anos, e mais coleção de mágoas que a sua bisavó. Chora mais à noite que o seu sobrinho de 2 meses. E acredita em finais felizes mais que a sua irmã de 12 anos. Finais felizes? Não contente-se com tão pouco. Amor é bem mais que construir planos de madrugada. E mais verdadeiro que promessas feitas em tardes de sábado sob as cobertas. Porque é muito fácil dizer pra alguém que vai permanecer quando faz sol e venta pouco. Quero ver é encontrar quem vire guarda-chuva nas noites de tempestade, caso você precise. É difícil. Encontrar quem venha e fique. Encontrar o amor. Porque a gente se engana demais com as definições românticas. Eu tive excesso de amores errados. Mas continuo aqui. Porque final feliz pra mim é pouquíssimo. Miséria. Eu quero mais. Bem mais. Porque boas, boas mesmo, são as coisas sem fim.”